segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

A tendência humana corruptível e as obras do diabo.

No que diz respeito à interpretação bíblica o estudante deve ficar atento ao menos em três questões as quais considero de muita importância: o contexto da época, a cultura e a linguagem. É comum ver nos relatos bíblicos os hebreus se valerem de parábolas, personificação e figuras de linguagens, vejamos este exemplo: Jo. 8.44 "Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.”

A interpretação que é dada pelas instituições religiosas cristãs sobre este e outros versos similares e conjuntamente com a interpretação popular não cristã é que o Diabo é uma pessoa que tem filhos, e que são pessoas pecadoras. E tais pessoas lhe Obedecem em tudo o que ele diz para fazer. O cristianismo tem interpretado tal paternidade baseado no verso encontrado em Gênesis, Gn. 6. 2 e 4Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama.”

Na verdade esta interpretação é tendenciosa e equivocada, os versos estão tratando de pessoas humanas não seres espirituais. O versos de João 8 diz que “Ele” o diabo foi homicida desde o princípio... No entanto, o uso do pronome "ele" não indica que o Diabo é uma pessoa. A "sabedoria" tem sido personificada como um construtor ou alguém Expert na arte de cozinhar Pv. 9. 1-2A sabedoria já edificou a sua casa, já lavrou as suas sete colunas. Já abateu os seus animais e misturou o seu vinho, e já preparou a sua mesa.”

E mesmo o pecado é tido como um trabalhador que recebe salário, Rm. 6. 23Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” Em muitas ocorrências a bíblia faz o mesmo com o desejo e a tendência humana, isto é personifica-a e esta personificação é que um personagem extra-humano nos atrai e nos impulsiona em tentação. Mas, por outro lado à mesma bíblia trata de sua literalidade. Nós pecamos devido aos desejos que nascem dentro de nós.

Mc. 7. 21-23 “Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem.” Tg. 1.14 “Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.”

Segundo a bíblia o nosso coração, referindo-se a mente, é completamente corrompido tornando-se assim o Diabo real que é o “pai” dos nossos desejos e pecados. "Os desejos de vosso pai" o diabo é, portanto, o mesmo que os maus desejos do nosso coração. É dito também que o Diabo é um assassino. 1ª João 3. 15 “Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele.” Se o diabo é homicida naturalmente ele tem de morrer, visto que o homicida não tem vida eterna permanente nele mas, segundo a bíblia  os anjos não podem morrer Lc. 20. 36 “Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição.”

Isso quer nos dizer que os Anjos são imortais e tem a vida eterna permanentemente neles, algo contrario daquilo que é ensinado pela cristandade em geral, onde é afirmado que o diabo um ser angélico irá morrer. Jo. 8. 38 “Eu falo do que vi junto de meu Pai, e vós fazeis o que também vistes junto de vosso pai.” Quando Jesus disse que os judeus tinham visto algo que os identificava junto do pai deles não estava literalmente dizendo que uma pessoa chamada diabo era o pai daqueles que o rejeitavam, naturalmente isso foi uma figura de linguagem demonstrando a espécie de natureza regia aqueles.

Jo. 8. 41 “Vós fazeis as obras de vosso pai. Disseram-lhe, pois: Nós não somos nascidos de fornicação; temos um Pai, que é Deus.” Eles eram do Diabo, no sentido de que davam sequencia a obra “do vosso pai”. Ou seja, continuaram a semelhança familiar. A Própria bíblia se interpreta cito, por exemplo, a passagem de 1ª Co. 15.56 “Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.” Refere-se a picada da serpente no Éden, mas não significa que a morte é uma serpente literal, no entanto, tem as características de uma cobra. Ap. 12. 9 “E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.” O dragão de Apocalipse 12:9 é chamado de "a antiga serpente". Um dragão não pode ser uma serpente e um dragão ao mesmo tempo, no entanto tinha as características da serpente do Gênesis.

Da mesma forma, o Diabo, ou os desejos que estão em nossos corações formando e estimulando a tendência maligna, tem as características da cobra, mas não significa que a serpente era o próprio Diabo. Segundo o relato bíblico a serpente era "inteligente" Gn. 3.1 “Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?” 2ª Co. 11.3 “Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.”       

Esta descrição retrata os judeus que estavam conspirando contra Jesus, Mt. 26.4E consultaram-se mutuamente para prenderem Jesus com dolo e o matarem”. A serpente do Éden era o protótipo do judeu assassino, o assassinato de Jesus foi o cumprimento da profecia de que a semente da serpente (pecado manifestado nos judeus) picaria a semente da mulher que foi Cristo, no calcanhar Mt. 12.34 “Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.”

João 8. 44  também é uma referência a Caim, o primeiro assassino ", ele foi homicida desde o princípio" Gn. 4.8 “E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou.” Ele também "não se firmou na verdade, como ele era o pai da semente da serpente que corrompeu o verdadeiro caminho para adorar a Deus Gn. 4. 16 “E saiu Caim de diante da face do Senhor, e habitou na terra de Node, do lado oriental do Éden.”  É através da palavra de Deus que os nossos maus desejos podem ser superados, aqueles que, como judeus, rejeitam a Palavra e vivem a sua vida e tomam decisões regidas apenas por seus maus desejos, eles são de fato "o Diabo" . 

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

A instituição religiosa faz diferença em minha vida?

Existem muitas táticas utilizadas pelo sistema denominacional religioso com o intuito de se propagar como instituição religiosa verdadeira. Algumas se arrogam por serem muito antigas, utilizam disso com o intuito de se auto- proclamar como única igreja de Cristo, existe aquela que diz dar sequencia ao apostolado de Pedro e por isso é a única verdadeira, e existem ainda aquelas que se arrogam de ser a restauradora de verdades esquecidas. Não se pode negar o fato de que as propagandas “evangelísticas” tem contribuído grandemente para o crescimento denominacional de tais instituições religiosas.

Mas deparando os ensinamentos doutrinários existentes nessas instituições religiosas com aquilo que a bíblia ensina sobre a igreja de Cristo percebemos um grande abismo espiritual, entre a verdade revelada pelo evangelho e aquilo que defende as corporações religiosas da atualidade. Lc. 17. 20-21 “E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o reino de Deus, respondeu-lhes, e disse: O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali; porque eis que o reino de Deus está entre vós”.

Existe tradução que diz dentro de vós e acredito ser a mais correta. Naturalmente isso deve ser entendido como sendo a vida espiritual existindo dentro de uma pessoa que nasceu de novo, pois, dizer que o reino de Deus está literalmente entre nós como defendido por algumas denominações religiosas é ir contra a lógica que presenciamos. O verso a seguir confirma o que estou dizendo Jo. 3. 3 “Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”.

Na realidade existe uma verdade muito cruel para os nossos ouvidos, contudo ela não pode deixar de ser dita, não importa o que o sistema denominacional prega ou ensina, objetivando com isso se transformar em uma instituição verdadeira, não importa há quanto tempo me rotulo de cristão, se na verdade o reino de Deus está longe de mim. As práticas cerimoniais de nada valem, dizer que minha igreja faz isso e isso outro, ou que é restauradora de verdades esquecidas... mas se o espírito transformador não é encontrado, é uma prática morta.

Tg. 1. 22-24 “E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era”. Por disse acima, a verdade do evangelho são cruéis aos nossos ouvidos. Viver de promessas de instituição religiosa ou acreditando que Deus não irá levar em conta a minha conduta é um erro grave para aqueles que acreditam na bíblia.

As promessas denominacionais podem ser rotuladas de práticas cerimoniais, ou seja, não valem nada Hb. 9. 10 “Consistindo somente em comidas, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da correção”. Naturalmente o autor de hebreus falou sobre o cerimonialismo judaico, utilizei o verso para reprovar a arrogância das instituições atuais as quais se julgam verdadeiras, visto que as práticas realizadas por elas não as classificam como representantes fieis do evangelho.

Em outras palavras ensinamentos doutrinários ainda que envolto com aparência  de realidade não transforma vidas, Tg. 2. 26 “Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta”. O mesmo pode-se dizer de cada um de nós, pouco vale o tempo de “cristianismo” ou mesmo daquilo que dizemos ser ou fazer, ser cumpridor da Palavra essa é a essência do evangelho. Portanto, as doutrinas, os dogmas e os costumes até certo ponto representam alguma coisa, contudo, a bíblia exorta-nos a sermos mais diligentes quanto a sua exigência.

 Gl. 6. 15 “Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura”. Acredito que este é o ponto chave que abre toda a problemática que circunda o cristão da atualidade; estamos tão acomodados com o padrão mundano da atualidade ou tão absorvidos com os ensinamentos das instituições religiosas que perdemos o foco do que é ser nova criatura.

Ef. 5. 11 “E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as”. Naturalmente este conselho de Paulo estendido aos nossos dias, nos estimula a buscarmos entendimento através da palavra do evangelho, diferentemente daquilo que o padrão mundano de certo e errado tem disseminado mundo afora, a bíblia tem nos estimulado a seguirmos um padrão diferente, claro está que tal conduta só será possível se nos tornarmos novas criaturas.

De igual modo as igrejas ditas cristãs também têm estimulado os seus membros a seguir determinados padrões os quais eles acreditam que os tornará mais santos (separados) do mundo e não conformados com este século, para isso utiliza-se doutrinas, dogmas sem fim, tornando-os “inchados” em seus entendimentos, contudo o interior carece de uma verdadeira transformação, assim sendo, não se ilude em dizer que pertence a denominação A ou B, isso não é garantia de nada, não transforma vidas.

Citarei dois episódios relatados na bíblia que demonstra a realidade do que estou dizendo, o primeiro foi nos dias do profeta Jeremias, Jr. 7. 3-4 “Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Melhorai os vossos caminhos e as vossas obras, e vos farei habitar neste lugar. Não vos fieis em palavras falsas, dizendo: Templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor é este”. Em outras palavras o povo da época acreditava que por pertencer à nação escolhida por Deus e por ter o templo erigido em seu território lhes garantia a aceitação de Deus independente de suas obras e ações.

A atualidade o pensamento é o mesmo, muitos dizem: pertenço a denominação dirigida por fulano de tal... isso é sinônimo de estar no lugar certo, outros acreditam que a sua igreja é prospera e milagreira, para ele significa pertencer a igreja certa, e outras acreditam ainda que foi escolhida por Deus, o seu surgimento tem cunho profético, é amparada por profetas e profetizas, foi instituída para proclamar verdades esquecidas e pisadas pela cristandade, tornam assim o Deus criador uma propriedade privada.

Para esses e outros além, o episódio bíblico que se encaixa como luva se encontra em Mt. 23. 24-27 “Condutores cegos! que coais um mosquito e engolis um camelo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de intemperança. Fariseu cego! limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.

Este acontecimento nos lembra de que não adianta nada o cerimonialismo. Uma religiosidade exterior de nada vale. O evangelho e as cartas no NT. Estimula-nos a sermos novas criaturas, como me tornar em uma nova criatura? A bíblia apenas recomenda a estarmos em Cristo, segundo ela, se estivermos em Cristo naturalmente seremos novas criaturas, 2ª Co. 5. 17 “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”.