terça-feira, 1 de dezembro de 2009

O que é o espírito?

Igualmente como acontece com a definição da alma, o meio “cristão” interpreta erroneamente a definição do espírito, tanto no que diz respeito ao espírito do homem, como também o espírito de Deus. Por que isso acontece? Como foi tratado no assunto anterior, a doutrina da imortalidade da alma foi extraída e fundamentada sobre a filosofia grega e não sobre o que os autores bíblicos falaram. Portanto para uma interpretação segura do assunto devemos nos valer unicamente da bíblia. Qual é a nossa interpretação quando ouvimos a palavra espírito, imaginamos uma força desencarnada se movendo independente do corpo? Ou temos em mente o que ensinaram os apóstolos e os profetas? No “velho testamento” escrito em hebraico o original da palavra espírito é ruach,( pronuncia-se,ruar ) e significa: fôlego, vento, sopro, e respiração, hálito e esta palavra se aplica tanto ao espírito dos homens, dos animais, espíritos malignos e ao espírito de Deus. Espírito do homem. Jó 32:8, Salmo 31:5, 146:4. Ecle. 12:7, Zac 12:1. O interessante é que em todos os versos citados aparece no original a palavra ruach, por exemplo: Jó 27:3 diz: Em quanto em mim estiver a minha vida, e o sopro= (ruach) de Deus nos meus narizes... ou seja, todas as vezes que lemos o “antigo testamento” e deparamos com as palavras, fôlego, vento, sopro, respiração, hálito, espírito tanto de homens, animais, ou mesmo o espírito de Deus, a palavra no original hebraico é ruach. Falando sobre a natureza humana nós lemos: Jó 19:17, Salmo 104:29. Percebemos então que a palavra ruach significa fôlego de vida, cuja fonte é Deus, e não uma entidade desencarnada como muitos pensam. No original hebraico o espírito de Deus também é chamado de ruach, palavra esta que significa vento, sopro, hálito e respiração. Gen 6:3 , 41: 38. Em ambos os versos a palavra espírito é = ruach relacionado ao espírito de Deus. Jó comparou o espírito de Deus com o seu sopro, Jó 33: 4 , 34: 14 e 15. Em outras ocasiões a palavra ruach de Deus não é traduzida como espírito, mas sim como sopro ou respiração, Salmo 33:6 Isaías 30:28. É interessante notar que os animais também possuem ruach, mas para diferenciar dos seres humanos e de Deus, na maioria das vezes o ruach dos animais é traduzido como fôlego de vida. Esta forma de traduzir também está de acordo com o sentido original da palavra. Eis alguns exemplos: Gen 6: 17, 7:15, Ecle. 3:19. A palavra ruach aparece 379 vezes em 348 versos no “velho testamento”e embora seja traduzido como espírito em vários textos, ruach também é traduzido como fôlego de vida, vento, sopro e ar. Este é realmente o significado original da palavra ruach. Outros versos que se encontram a palavra ruach: Gen 8:1, Jó 4:9, 7:7, 41:16, Ecle. 1:14. Em algumas traduções a palavra ruach é traduzida como mente ou animo. Nos próximos dois versos o tradutor entendeu que a palavra ruach foi utilizada originalmente num sentido amplo, abrangente, figurado, simbólico e, portanto, não deveria ser traduzida ao pé da letra como espírito, vento ou fôlego. ICron. 28: 11 e 12 e IICron. 21:16. O sentido amplo da palavra espírito foi usado por Paulo ao transcrever um texto de Isaías. O apóstolo reconheceu que o espírito de Deus é de modo figurado a sua mente. Comparando a transcrição feita por Paulo com o verso original seremos capazes de verificar qual o conceito que o apostolo Paulo tinha a respeito do espírito de Deus. Veja os versos: Isaías 40:13, Rom. 11: 34, ICor 2: 16. Nestes versos Paulo chamou de “mente” o que Isaías havia chamado de espírito. Ao reescrever o texto usando a palavra mente, Paulo deixa claro qual era a sua compreensão a respeito do espírito do Senhor era a própria mente do Senhor. Se não fosse esta a interpretação de Paulo, ele jamais teria reescrito o verso de Isaías da forma como fez em duas ocasiões. Depois desta breve análise do “antigo testamento” concluímos que a palavra espírito em todas as suas aplicações, tanto do homem como dos animais e até mesmo o espírito de Deus é ruach, ou seja, fôlego, sopro, ar e até mesmo a mente de Deus, e não uma entidade desencarnada como é ensinado no meio cristão e muito menos uma suposta terceira pessoa da trindade. No “novo testamento” escrito originalmente em grego, o termo traduzido como espírito é pneuma. Esta palavra grega tem o mesmo significado de ruach no hebraico, ou seja, é um sinônimo de espírito, fôlego, vento, sopro, ar. É da palavra pneuma que derivam algumas palavras da língua portuguesa, tais como pneu, pneumático, pneumonia, todas relacionadas à respiração ou ao ar. No novo testamento a palavra pneuma é aplicada para o espírito de Deus e também para o espírito do homem, eis alguns versos que nos mostram isso. Rom. 8:14 e 16, ICor. 2:11 e 12, a palavra espírito descritas nos versos mencionados tanto do homem como de Deus no original grego é pneuma. Alguns versos que falam do (espírito pneuma) do homem: Lucas 8:55 ICor. 16:18, Tiago 2:26, ITessal. 5:23. Podemos entender que o homem é formado do pó (corpo físico) mais espírito (fôlego de vida) proveniente de Deus, resultando em uma alma vivente. Não podemos nos influenciar pelo conceito popular achando que o homem é uma pessoa e o seu espírito é outra pessoa, uma entidade independente que subsiste fora do corpo. O pneuma do homem é parte integrante do seu ser. Da mesma forma o pneuma de Deus é parte integrante de Deus não uma outra pessoa, vale salientar também que os manuscritos mais antigos do novo testamento foram escritos em uncial, um padrão baseado apenas em letras maiúsculas. Portanto, não havia distinção entre a letra maiúscula e minúscula, isso significa que a palavra espírito no original era escrito desta forma “ESPÍRITO” não importava se tal espírito era do homem ou de Deus, e ambas eram pneuma, ou seja, espírito, vento, fôlego sopro, ar. A palavra pneuma aparece 385 vezes no novo testamento, e na maioria das vezes é traduzida como espírito. Mas assim como ruach, há outras traduções possíveis como sopro, fôlego e vento. Os versos a seguir nos mostram isso: João 3:8, IITessal. 2:8, Heb.1:7, Apoc. 13:15. o objetivo proposto deste assunto é fazer entender que, tanto espírito do homem como o espírito de Deus tem o mesmo significado ruach, no antigo testamento, e pneuma no novo testamento, ambos querem dizer a mesma coisa. Quanto à questão da escrita com caracteres apenas maiúsculos podemos dizer que este padrão foi empregado nos pergaminhos até o XI século quando a escrita minúscula começou a ser adotada. Fica claro que escrever Espírito Santo com iniciais maiúsculas é uma convenção adotada posteriormente pelos tradutores da bíblia.